Pretende-se,neste blog, não só evidenciar a beleza que nos rodeia como, ainda,chamar a atenção para pormenores que, normalmente, passam despercebidos

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Amento do Salgueiro (Salgueiro-Branco)

Salix alba, salgueiro-branco, é  nativo de zonas temperadas, como o centro e o sul da Europa, o norte da África, o oeste asiático e a América do Norte. Necessita estar em locais húmidos e não resiste às temperaturas extremas. É uma árvore caducifólia (perde as folhas no inverno), chega a atingir de 20 a 30 metros de altura. O nome deriva das folhas, que são mais claras que a maioria dos salgueiros, devido a uma cobertura muito fina acetinada, prateada na sua parte inferior, com  5 a 10 centímetros de comprimento e de um  centímetro e meio de largura. Os rebentos dessa espécie vão da cor cinzento-castanho ao verde-escuro. As flores são dióicas (os sexos estão separados em indivíduos diferentes), chamados de amentos (o da foto é masculino), em racemos (cachos), produzidos no início da primavera e polinizados por abelhas.
Hipócrates (pai da medicina),escreveu no século V a.C. sobre um pó amargo extraído da casca do salgueiro que poderia aliviar dores e reduzir a febre. Este remédio é também mencionado em textos do Antigo Egipto, Suméria e Assíria. Os índios nativos americanos usavam-na para combater a dor-de-cabeça, febre, dores musculares, reumatismo e calafrios.
O extrato ativo da casca, chamado salicina, devido ao nome em latim para o salgueiro-branco (Salix alba), foi isolado em sua forma cristalina em 1828 por Henri Leroux, um farmacêutico francês, e Raffaele Piria, um químico italiano, que, em seguida, conseguiu isolar o ácido em seu estado puro. A salicina, como a aspirina, é um derivado químico do ácido salicílico.
Com ele são  feitas as famosas varas para procurar os lençóis de água subterrâneos.
Na culinária, os rebentos (brotos) do salgueiro são comestíveis, além de serem uma boa fonte de vitamina C. Pode ser comido cru, mas geralmente é ingerido seco em forma de farinha. As folhas jovens do Salgueiro também são comestíveis e usadas como forragem para o gado.
Brown Eyes

Montanha

6 comentários:

Fê-blue bird disse...

Minha amiga, cada vez estamos mais distantes do que a mãe-natureza tem para nos oferecer, qualquer dia queremos e já não existe nada.
Excelente informação, vou guardar :)

beijinhos

Brown Eyes disse...

Fê essa é a verdade. Há que a aproveita-la enquanto ela existe. Acabando ela nós também cá não ficamos. Beijinhos

Breathtaking disse...

Visually I know the Salgeiro well,
but I would never have imagined that the the buds could be edible.
Great Stuff!

Brown Eyes disse...

BreathtakingNature offers us a myriad of surprises

Breathtaking disse...

Where are you Brown Eyes? I miss your excellent spot.Hope you are not ill!!!

Brown Eyes disse...

Breathtaking I'm not sick but I'm very lack of time. I get off work too late and when I finish the housework is bedtime. Over the weekend I am dedicated to my animals, dogs and horses, to the garden, walking in nature and time flies. I think animals need a lot of our attention and we have the peace that nature gives us. When I'm between them nothing makes me lose the rest. I have many subjects and pictures to your blog but time flies and I can not publish. Thank you for your concern. Kisses for you